facebook
WhatsApp

Notícias

Dia do Desejo: Projeto permite que pacientes pediátricos escolham suas refeições

Quarta, 05 Setembro 2018

Dia do Desejo: Projeto permite que pacientes pediátricos escolham suas refeições

Nutricionistas do Hospital Santa Izabel destacam iniciativa que leva a alegria em forma de comida aos seus pacientes

O simples ato de escolher o que vai comer pode fazer toda a diferença no bem estar de um paciente em tratamento. Dependentes de uma dieta restrita e acompanhados diariamente por uma equipe nutricional, os pacientes pediátricos da ala oncológica do Hospital Santa Izabel enxergaram no “Dia do Desejo” uma forma de fugir da rotina alimentar e matar a saudade dos seus pratos preferidos.

Essa iniciativa começou em 2017, coordenada pelo setor de nutrição do hospital, que atua em parceria com os médicos paliativistas. Toda sexta-feira, são servidas aproximadamente 25 refeições para estes pacientes muito especiais. O objetivo, de acordo com a própria equipe de nutrição, é proporcionar o bem-estar do enfermo que, na maior parte das vezes, está reservado do lazer e das relações sociais.

O projeto, que começou na pediatria oncológica da unidade Erik Loeff, hoje também já atende pacientes oncológicos e de longa permanência de outras unidades. Em média, são atendidos 25 desejos por semana. “Iniciamos o projeto na ala pediátrica por causa dos inúmeros pedidos que as crianças nos faziam. Depois começamos a ouvir os adultos também, por isso estabelecemos um dia para que pudéssemos atender o máximo de pacientes possíveis”, explica Neila Almeida, coordenadora de Nutrição do Hospital Santa Izabel.

 

 

Como funciona

A expectativa começa já na quinta-feira, quando a nutricionista vai até o leito do paciente programar de pertinho a refeição do dia seguinte. Tudo é conversado com a equipe médica da Unidade e, se autorizado o consumo do alimento escolhido, a equipe da cozinha se planeja para a produção das refeições. Na manhã da sexta-feira ela passa novamente nos leitos para confirmar os pedidos e checar o estado de saúde dos pacientes, etapa importante para dar continuidade na elaboração dos pratos.

“É tudo natural. Se for um cachorro-quente, nós não usamos salsicha embutida -fazemos a salsicha. Mesma coisa de um hambúrguer, nós fazemos o hambúrguer com uma carne magra. A calabresa, coxinha, kibe e batata frita vão ao forno, não são fritos... abusamos dessas alternativas para poder realizar o desejo dos pacientes sem prejudicar a saúde deles”, reforça Neila.

Os pedidos, em sua maioria, são pratos que não fazem parte do cardápio semanal do hospital. Lanches como pizza, pipoca, sorvete, brigadeiro, pudim e chocolate são os preferidos das crianças, enquanto feijão tropeiro com calabresa, carne seca, ovo cozido e lasanha dominam os pedidos dos mais velhos.

A coordenadora de nutrição do Hospital Santa Izabel explica ainda que os pedidos especiais são, em sua maioria, feitos para o horário das 15h, que corresponde ao horário do lanche da tarde, mas se os pedidos equivalem às refeições, elas são programadas para envio no horário de almoço do paciente.

Sobre o projeto, Neila destaca a humanização como ponto crucial no processo de todos os envolvidos: “Mostramos aos pacientes que, mesmo dentro do hospital, podemos levar a alegria através da comida”. O sorriso no rosto dos pacientes após a realização dos seus desejos é o maior presente que a equipe do Hospital Santa Izabel pode receber!

peq peqq

Filiações

  • Hospitais Saudaveis
  • Rede Global
  • Abrahue
  • Abrh Ba
  • Ahseb
  • Cmb
  • Coniacc
  • Fesfba
  • Ibross
  • Uicc
  • ANAHP

    Certificações

    • QMENTUM
    • Ona
    • Hemodinamica
    • Selo HIMSS